quinta-feira, 30 de abril de 2015

Dose dupla na próxima quarta

A data certa dos cartazes é dia 06 de maio.





ENTRADA GRATUITA
Av. João de Barros, 594 – Santo Amaro – Recife – PE
Fone: 3183-3400
Site: www.conservatorio.pe.gov.br
Facebook: Conservatório Pernambucano de Música

Virtuosi Brasil completa 11 anos na próxima semana

Quarteto Carlos Gomes. Foto: Divulgação
O Ministério da Cultura e os Correios apresentam o XI Virtuosi Brasil, que acontece entre os dias 07 e 10 de maio no Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu - Recife. Os destaques do festival neste ano são o pianista Cristian Budu (vencedor do Concurso Clara Haskil na Suíça – 2013), o Grupo Pau Brasil, o Quarteto de Cordas Carlos Gomes e o Duo Flauta & Violão de Rogério Wolf e Paulo Porto Alegre. Todos os concertos são gratuitos e começam às 19h. Os ingressos estarão disponíveis para o público duas horas antes do espetáculo na bilheteria do teatro.

CONCERTOS AULA
O XI Virtuosi Brasil oferece dois concertos aula, nos dias 07 e 08 de maio, respectivamente, com o Grupo Pau Brasil e o Duo Flauta & Violão . Os concertos aula acontecem no no Teatro Luiz Mendonça, durante o ensaio geral dos grupos às 16h. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (81) 3363-0138 e no site www.virtuosi.com.br. O festival conta com o apoio da Prefeitura do Recife.

terça-feira, 28 de abril de 2015

O que é o Hoodid?


Uma novidade útil para artistas e compositores: agora parece mesmo possível fazer o registro autoral de sua música de forma GRATUITA e online. A plataforma Hoodid disponibiliza o registro da obra com tecnologia mais segura e avançada que os serviços oferecidos pela Biblioteca Nacional e pela Escola Nacional de Belas Artes, além da vantagem de ser muito mais prático.

O site poupa o artista/autor da enfadonha burocracia com “papelada”, correios ou uma espera cansativa de 3 a 10 meses para receber o certificado, e o músico ainda recebe um primeiro registro gratuito. Após seguir os passos indicados, o mecanismo disponibiliza, de forma imediata após o cadastro, o registro de declaração de autoria, que segue padrões internacionais para garantia de autenticidade e integridade, com eficácia jurídica em 168 países – o que habilita,inclusive, autores estrangeiros a se registrarem no Brasil.

Por ser online, o sistema da Hoodid garante com maior velocidade a proteção jurídica contra plágios, fraudes e uso indevido de sua obra. O sistema já foi referendado por grandes nomes nacionais da arte, como o vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura, Raimundo Carrero. Os créditos disponíveis ao artista podem ainda ser utilizados para baratear o custo de registros autorais de outros tipos de produção, tais como: livros, textos diversos, trabalhos acadêmicos, roteiros etc.

Palestra nesta quinta no CPM


Próxima semana, no Parque Dona Lindu


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Águas Belas, op. 17

Foto: Facebook.
Mais uma partitura finalizada, desta vez para violino e piano, a pedido de Jerzy Milewski e Aleida Schweitzer. Chama-se Águas Belas e é dedicada, por sugestão do casal, a Sérgio da Costa e Silva, criador e curador da série Música no Museu, que produz mais de 500 concertos por ano no Brasil e no exterior. A peça, construída em forma uma rondó modificada (introdução-A-B-A'-B'-A''-C-coda)-, tem pouco mais de três minutos de duração e é predominantemente modal, com a seção B' sensivelmente tonal.

O título Águas Belas foi escolhido a princípio pela beleza em si de seu significado literal, e porque eu queria um nome que seguisse o espírito dos que batizavam as músicas do Movimento Armorial (Cipó branco de Macaparana, Mourão, Chegança, Cirandância...), mas evitasse uma conotação mais regionalista.

Outrossim, convergem no título, também, três outras motivações: 1. a de ser o nome uma cidade do Agreste pernambucano (por isso com a seção recorrente em estilo de baião) e de possuir uma conhecida presença indígena (que motivou a apoteose em estilo de caboclinhos, ou "cabocolinhos", como dirá qualquer ex-aluno de Guerra-Peixe), 2. a de se referir às belas águas dos mares de Pernambuco (minha terra) e do Rio de Janeiro (terra de Sérgio, que já foi surfista e, portanto, tem uma ligação mais íntima com esse elemento da natureza), e 3. a remeter às águas no sentido arquitetônico do termo, as divisões do teto de um edifício, posto que o trecho tonal da partitura visa a servir de tema para a série Música no Museu e os tetos de um museu, teatro ou igreja estão entre os elementos mais contemplados desses edifícios.

E a partir desta noite já estou trabalhando em uma versão orquestral da partitura.

Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução apenas parcial, salvo outra sob acerto prévio, citando-se a fonte e o link de origem em qualquer em qualquer circunstância.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Estudo armorial n° 3 - estreia mundial

No último dia 12 de março, aniversário de Olinda e Recife, o Duo Milewski realizou um concerto de peças brasileiras em arranjos para violino e piano na Igreja da Madre de Deus, no Recife Antigo, dentro do projeto Música no Museu (com a presença do produtor geral e fundador do projeto, Sérgio da Costa e Silva). Uma semana antes, Aleida tinha me pedido para reenviar por e-mail a partitura do meu Estudo armorial n° 3 para violino solo, pois a que havia seguido via correios se perdera, e Jerzy queria estreá-lo aqui no Recife. Feito isso, Jerzy me ligou na quinta anterior, dia 05, e pedira para tomar algumas liberdades na partitura (pois, de fato, ele acabou tendo três dias para estudar a peça e eu não tive a chance de ouvi-la em ensaio após a chegada do duo, dia 11). Então a versão que aqueles que são músicos vão ouvir nesse vídeo, conforme se poderá comparar com a partitura, não foi rigorosa no que tange aos andamentos, mas respeitou o lirismo da peça e servirá de base para a primeira revisão dela. Agradeço bastante a gentileza e consideração de Jerzy, cujo violino tem um timbre de brilho ímpar, e dos amigos Paulo Cunha e Eline Santos, que filmaram a apresentação (os vídeos editados por Paulo serão postados posteriormente).

domingo, 5 de abril de 2015

Especial Instrumentos musicais - Revista Continente

Imagem: Reprodução
Neste mês a revista Continente traz um especial sobre a produção de sons musicais, onde contribuo com uma matéria sobre a história da luteria com depoimentos de Saulo Dantas-Barreto (construtor de instrumentos de cordas friccionadas), Levi Ramiro (de violas caipiras) e Laura Rónai (flautista que fala sobre as características das flautas renascentistas, barrocas e modernas). Os outros dois artigos do especial tratam de aspectos mais recentes e igualmente importantes: os softwares de sintetização de timbres em formato MIDI e os equipamentos de captação e gravação de sons. A Continente chega às bancas a partir desta segunda.

Piratas da Praia - Albergue

Acabei conhecendo este ano o Piratas da Praia, aqui em Boa Viagem, bairro onde moro, e fui convidado a dar um pequeno depoimento em vídeo, que foi utilizado em uma peça promocional do albergue. Pela estrutura e pelos serviços e opções de entretenimento oferecidos, pude conferir que o Piratas pouco ou nada deve aos albergues das cidades onde utilizei um (Dublim, Edimburgo, Varsóvia, Praga, Viena, Londres, Santiago, Buenos Aires, São Paulo e Lisboa). Fica aí a dica.