Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Sinfônica Jovem protesta contra a gestão geral do Conservatório Pernambucano

Conforme programado, os músicos da Orquestra Sinfônica Jovem do CPM (nem todos puderam fazer-se presentes, por motivos de trabalho ou pessoais) e o maestro José Renato Accioly encontraram-se no Marco Zero para realizar uma manifestação em protesto contra o gestor geral do Conservatório, Sidor Hulak, pelos motivos colocados em carta aberta que foi distribuída ao público e à imprensa na ocasião (clique abaixo para ampliar).

Após realizarem um minuto de silêncio com os instrumentos em posição, os músicos - sem o regente - tocaram a abertura da opereta Cavalaria Ligeira, de Franz von Suppé, e em seguida o Mourão, de Guerra-Peixe e Clóvis Pereira. Aguardem a cobertura de alguns dos principais órgãos de imprensa local (incluindo Rede Globo, Diário de Pernambuco, portal NE 10, Rede Record, portal LeiaJá, Rádio Jornal) para saber mais.

Pesquisa em andamento

Na pesquisa que realizei nas bibliotecas centrais da UFPE, UFPB e Unicap, além dos periódicos da Capes e do Banco Nacional de Teses e Dissertação, só encontrei um único trabalho acadêmico sobre Clóvis Pereira: uma dissertação sobre seu concertino para violino e cordas, de autoria de Marina Machado, da UFPB.

Orquestra Sinfônica Jovem protesta no Recife Antigo nesta segunda

Saiba dos detalhes no blog Play, do Diário de Pernambuco.

Cachês atrasados na OSR

Num ato de coragem, que pouco a pouco os músicos do meio erudito começam a exercer aqui no Recife e em João Pessoa, o oboísta e anglocornista Junielson Nascimento denuncia que os cachês dos estagiários e músicos convidados da Sinfônica do Recife que atuaram neste semestre não foram pagos ainda. A reclamação é reforçada pelo trompetista Josias Adolfo.

Art Metal Quinteto | CD Henrique Alves de Mesquita: músico do Império do Brasil

No Rio de Janeiro do século XIX, em meio às reviravoltas políticas, sociais, culturais e, sobretudo musicais, nasceu, em uma casa modesta na Ladeira do Castelo, o compositor e regente Henrique Alves de Mesquita, personagem ainda nebuloso e pouco celebrado, quando se considera suas muitas contribuições, todas fundamentais, na formação do que se passou a considerar nacional e moderno.

Mesquita era chamado por Machado de Assis de “o nosso Beethoven brasileiro”; França Junior o aclamava continuador de José Mauricio e o imperador D. Pedro II o protegeu até que um fato controverso que o levou a amargar três anos de prisão, em Paris. Apesar de sua genialidade, versatilidade e enorme produção, esse morador do Catumbi, inventor do "Tango Brasileiro" (filho da Habanera europeia e pai do brasileiríssimo Maxixe), parece ter desaparecido na tumultuada história musical de seu tempo.

E suas façanhas não foram poucas para o período: Medalha de ouro do Conservatório de Música foi o primeiro b…

Uma noite sacra com o Opus 2

É no próximo domingo também, só que às 17h, no Recife Antigo. Dá tempo de correr de lá pro D. Lindu e acompanhar dois concertos numa noite só. A regência é de Flávio Medeiros.

Orquestra Armorial Vol. 5

Como sempre as redes sociais me auxiliam, queria aproveitar e fazer um pedido bem simples por aqui.

Se alguém tiver esse LP da foto (Orquestra Armorial Vol. 5), que pudesse me confirmar 1. o ano de lançamento, 2. o número de série, 3. a gravadora e 4. a primeira faixa do lado B. Agradeceria muitíssimo.

Também preciso da capa escaneada ou fotografada frontalmente, não como está acima. Mas se for trabalhoso, não tem problema. O principal são os dados.

Sinfonia dos Dois Mundos de D. Helder Câmara, próximo domingo

A Orquestra Jovem de Pernambuco, regida por Rafael Garcia, vai executar a Sinfonia dos Dois Mundos, domingo que vem, no Parque D. Lindu. O concerto terá a participação de Fafá de Belém, do tenor Adriano Pinheiro, do Coral Villa-Lobos e de um coro infantil. A produção é da Acontecer.

Entrevistas para o livro de Clóvis Pereira

Comecei a etapa de entrevistas para o livro de Clóvis Pereira. Já tenho alguns nomes com quem conversar, mas faço aqui uma convocatória.

Quem já tocou, regeu ou estudou a obra dele pode me contactar. Ex-alunos, amigos e afins também.

Pedido pessoal

Caros, alguém teria a partitura do Choros n° 10 e do Maracatu do Chico Rei (ao menos a Dança de Chico Rei e da Rainha Ginga) ou o texto desta segunda peça? O máximo que consegui foi o texto do citado Choros (foto acima), retirado deste site.

Pago pela postagem e pela xerox, caso não as possuam digitalizadas.

Especialização em pedagogia do instrumento na UFPE

O Departamento de Música da UFPE lança a segunda edição do curso de pós-graduação lato sensu em Pedagogia do Instrumento, coordenado pela profa. Ana Carolina Nunes do Couto. O e-mail para contato é é o pedagogiadoinstrumentoufpe@gmail.com. Porém, a cartilha com todas as informações sobre o curso, você pode baixá-la aqui.

Encerrando os trabalhos do ano

Não acho que caiba aqui uma crítica do concerto de ontem. Eu até gostaria de fazer, mas a demanda de trabalho hoje está alta e não está me permitindo organizar as ideias todas - ao menos já fiz as observações que achava pertinentes a quem estava comigo por perto.

Queria só compartilhar da observação de Marlos Nobre de que a orquestra está mais "florida" e mais sorridente. Quem acompanha a Sinfônica do Recife percebeu que as instrumentistas mulheres deixaram o preto de lado, ontem, e se produziram mais para estar diante do público.

O próprio maestro mencionou esse fato por duas vezes ao usar da palavra no concerto, porém uma ou outra pessoa já havia sentido isso. Vejam aqui esse álbum de fotos da página oficial da OSR no Facebook.

Concertos no Santa Isabel nestas terça e quarta

Hoje e amanhã o teatro mais antigo de nossa cidade recebe os concertos de encerramento anual da Orquestras Sinfônica do Recife e da Banda Sinfônica da Cidade do Recife, respectivamente. O da OSR terá programa cem por cento nacional, pela primeira vez em anos. Vejam o repertório nos principais sites de notícias.

Edição de dezembro da revista Concerto

Destaque neste mês para as colunas de Júlio Medaglia e Jorge Coli, sobre - respectivamente - os 370 anos da morte de Monteverdi e as récitas de Jupyra e Cavalleria Rusticana em São Paulo; para a entrevista da percussionista da Osesp Elizabeth del Grande a Camila Frésca; e, em especial, para a coluna de João Marcos Coelho, que resgata merecidamente a memória de Paul Hindemith nos 50 anos de seu falecimento. Para quem gosta de Pavarotti, Leonardo Martinelli faz um novo apanhado de sua biografia. Quanto à matéria de capa, fica a surpresa.

Um pouco de humor

Fiquei curioso para ler a respectiva crítica do Norman Lebrecht.

Concertos na Sala Radegundis Feitosa‏ esta semana

Na quarta e na quinta-feira, o XVI VIRTUOSI – Festival Internacional de Música de Pernambuco, viaja a João Pessoa apresentar dois concertos internacionais, com apoio do LAMUSI-CCTA-UFPB:

*Quarta-feira (11-Dez), 20h: Pianista russo ILYA RAMLAV
*Quinta-feira (12-Dez), 20h: Duo GIORA SCHMIDT (violino-EUA) e VICTOR ASUNCION (piano-Filipinas)

Na sexta-feira, haverá o CONCERTO DE NATAL DA UFPB:

*Sexta-feira (13-Dez), 20h: OSUFPB Cordas e Coro de Câmara Villa-Lobos, sob a regência do Maestro Carlos Anísio.

No domingo, acontecerá com o Concerto de Encerramento das Atividades 2013 da Sala Radegundis Feitosa, comemorando mais de 150 atividades musicais em sua primeira temporada:

*Domingo (15-Dez), 17h: Coro de Câmara de Campina Grande (sob a regência do Maestro Vladimir Silva) e Grupo IAMAKÁ

Jorge Antunes conclui ópera sobre conto de Machado de Assis

O compositor Jorge Antunes está chegando aos últimos compassos de sua nova ópera “A Cartomante”. O libreto é do próprio Antunes e é baseado no conto homônimo de Machado de Assis. A estreia mundial do espetáculo será em abril de 2014, em Brasília.

Na adaptação que o Maestro Antunes fez do conto machadiano, os quatro personagens mantêm os mesmos perfis, mas o triângulo amoroso e o final trágico ganham contornos com características da conjuntura atual: os amigos de infância Camilo e Vilela, da história original, na ópera são respectivamente um líder sindical pelego e um dono de fábrica explorador.

A linguagem que Jorge Antunes utiliza na nova obra é eclética, na mesma linha de sua ópera Qorpo Santo: orquestra com ambientações sonoras arrojadas, árias atonais e neotonais e sons eletrônicos. O coral é um coro masculino, que representa os operários da fábrica.

Em dose dupla, este mês

Na edição dezembro da Continente, volto à ativa com o tema que mais me apetece: música clássica... (desde maio que eu estava recolhido e, em novembro, a matéria que fora publicada havia sido sobre o artesão Rock Santeiro).

A primeira reportagem fala acerca do I Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa e nela aproveito para abordar a carência de produtores musicais num Estado tão farto de talentos, entre compositores e intérpretes.

A segunda refere-se ao Virtuosi, que chega à sua décima sexta edição, e problematiza a velha questão do excesso de repertório standard ao qual o público de música clássica é submetido - graças ao próprio gosto, mas também pela força própria das efemérides.

Armando Lôbo fala sobre Pernambukalos

Puxando um papo com Armando via Facebook, falei-lhe de que sua Pernambukalos era obrigatória na minha playlist (tenho a gravação, cedida por ele, da estreia mundial da peça, ocorrida há cerca de dois meses na última Bienal de Música, no Rio) e que queria que ele discorresse sobre ela, pois eu sentia ali influências do da música indígena, do rock, da MPB, do maracatu e de mais um pouco.


Ele então respondeu-me (e aí compartilho com vocês, com autorização dele):


Tentei especular sobre o nome "Pernambuco", o sentido etimológico, e os gêneros aboio, caboclinho, maracatu e frevo de bloco (torto). A ideia é a do momento e da compulsão originária da criação de Pernambuco, por isso o elemento indígena aparece como caldo mítico fundacional [nas passagens onomatopaicas, que ocorrem desde o início da obra]. A peça foi escrita quase em transe, bem rápido, em menos de uma semana. Há um freyreanismo de 3 raças na letra, mas esse aspecto socio-antropológico é apenas um detalhe. O que procurei…

Licenciatura em Música na Maurício de Nassau

Alguém sabe se essa graduação está funcionando? No site da faculdade não há sequer o nome do corpo docente - e essas informações estão aí há quase ano e meio.

Primeiro concerto de percussão da Orquestra Criança Cidadã‏

Na próxima terça-feira (10 de dezembro), às 19h30, na Caixa Cultural (Marco Zero, Recife-PE), os Meninos do Coque apresentam seu primeiro concerto de percussão, com o Grupo Contratempo. No programa, chorinhos, maracatus e temas famosos da música erudita.

Programação completa do XVI Virtuosi

LIVRARIA CULTURA – PAÇO ALFÂNDEGA
10, 11 e 12 – 10h
III VIRTUOSI DIÁLOGOS
APRENDENDO A OUVIR ÓPERA
Talks com Irineu Franco Perpétuo Inscrição: www.virtuosi.com.br

OLINDA|PE – CONVENTO DE SÃO FRANCISCO

08 | DOMINGO

18h GIORA SCHMIDT, violino

VICTOR ASUNCION, piano

Franz SCHUBERT [1797-1828]
4 Improvisos D 899
Dó menor
Mi bemol maior
Sol bemol maior
Lá bemol maior

Franz LISZT [1811-1886]

Sonata para piano em si menor
Transcrição para violino solo de Noam Sivan

II

Ludwig van BEETHOVEN [1770 – 1827]

Sonata em ré maior para violino e piano, Op. 12, nº. 1
Allegro con brio
Tema con variazioni: Andante con moto Rondo: Allegro

Gabriel FAURÉ [1845 – 1924]

Sonata nº. 1 em lá maior para violino e piano, Op. 13
Allegro molto Andante Allegro vivo Allegro quasi presto Eugène YSAŸE [1858 – 1931]
Caprice d'après l'etude en forme de Valse de Saint-Saëns (Valse-Caprice), Op. 52

TEATRO DE SANTA ISABEL – SALÃO NOBRE

SÉRIE DE MÚSICA DE CÂMARA

10 | TERÇA

18h KODALY, VILLA-LOBOS & RAVEL

Zoltan KODALY [1882-1967]

Duo para violin…

A boa notícia do ano

Depois de um ano e meio de gestação do projeto, agora é oficial. Ao longo do próximo semestre, terei a missão de cuidar da preparação do catálogo de obras do maestro Clóvis Pereira, que será editado pela Cepe - a editora do Diário Oficial e da revista Continente, vale lembrar. Trata-se de um projeto inédito em nível estadual, já que nunca um catálogo musical foi feito em Pernambuco (vide dois posts abaixo). Espero que tudo corra certo e agradeço à Companhia Editora de Pernambuco pela confiança.

XVI Virtuosi homenageia Verdi e Wagner

O Ministério da Cultura e o BNDES apresentam o XVI VIRTUOSI – Festival Internacional de Música de Pernambuco que, pelo quarto ano consecutivo, acontece em diferentes localidades além do Recife. De 08 a 17 de dezembro, o festival, que dedica esta edição aos 200 anos do nascimento dos grandes compositores de opera VERDI e WAGNER, mantém a tradição de trazer grandes nomes internacionais. Neste ano, o evento se divide entre o Teatro de Santa Isabel (Recife), Convento de São Francisco (Olinda), Sala Radegundis Feitosa (João Pessoa) e ainda Sala Augusto Meira Filho (Belém).

Com patrocínio do BNDES, da CAIXA, da Toyolex, da White Martins, da MOURA e do Governo Federal através da Lei Rouanet e incentivo do Governo do Estado de Pernambuco e da Prefeitura Municipal do Recife, o XVI Virtuosi realiza o III VIRTUOSI DIÁLOGOS promovendo palestras com o jornalista Irineu Franco Perpétuo com o tema “Aprendendo a ouvir Ópera” na Livraria Cultura – Paço Alfândega, dias 10, 11 e 12 às 10h. Os interessado…

Catálogos de obras musicais

A Academia Brasileira de Música iniciou, na última década, uma série de catálogo de obras de compositores brasileiros, a qual já contemplou figuras do quilate de Ernst Widmer, Leopoldo Miguez, Ernani Aguiar e Francisco Mignone e hoje atinge nove volumes.Os musicólogos Flavio Silva, Ilza Nogueira, Elizete Higino, Sérgio Nepomuceno e Vasco Mariz foram os responsáveis pela tarefa de catalogação da série (cada volume fica a cargo de um organizador quando da aprovação pela ABM).

Marlos Nobre: El sonido del realismo mágico, lançado em função do Prêmio Tomas Luis de Victoria, concedido ao compositor pernambucano em 2005, segue um esquema híbrido: trata-se de um livro que faz uma apreciação crítica e biográfica para, depois, apresentar a relação de obras em um capítulo, o que - portanto - não é o escopo principal da publicação, porém é parte essencial dela.

Ano passado, por sua vez, a musicóloga Ermelinda Paz concluiu, com patrocínio do Sesc, o catálogo de Edino Krieger, inovando ao compilar, a…